Jogadores da Seleção Brasileira, Copa África 2010


1 - JÚLIO CÉSAR


Nome completo: Júlio César Soares Espíndola
Data de Nascimento: 3 September 1979
Altura: 186 cm
Número da camisa: 1
Posição: Goleiro
Clube atual: Inter (ITA)
Jogos Pela Seleção: 48
Gols Pela Seleção: 0
Primeira Partida Internacional: Brasil - Chile (08-07-2004)

História do Clube
Chievo (ITA): De 2005 a 2005
Flamengo (BRA): De 1997 a 2004


Dunga é possivelmente o primeiro técnico da seleção brasileira que tem um goleiro como astro do time. E a verdade é que Júlio César vem sendo simplesmente brilhante desde que foi chamado para ser o titular da posição, em agosto de 2006.
Nascido no Rio de Janeiro em 1979 e revelado no Flamengo em 1997, ele passou sete anos no clube da Gávea. Nesse período, levantou quatro taças do Estadual do Rio e ganhou fama de pegador de pênaltis, que mantém até hoje.
Em 2005, Júlio César foi contratado pela Internazionale de Milão, mas logo emprestado ao Chievo Verona, onde nem chegou a jogar. De volta ao clube milanês, tirou a posição de titular do aclamado Francesco Toldo e, a partir daí, nunca mais saiu do gol da Inter.
Foi figura indispensável na vitoriosa sequência do clube nos últimos anos, quando conquistou vários títulos italianos e, às vésperas da África do Sul 2010, a Liga dos Campeões da UEFA.
A sua estreia na Seleção aconteceu em 2004, na Copa América, e ele já foi fundamental para a conquista do título, defendendo uma cobrança na decisão por pênaltis contra a Argentina. Depois, foi o terceiro goleiro na Alemanha 2006, ficando na reserva de Dida e Rogério Ceni durante toda a campanha naquele Mundial.
Desde a chegada de Dunga ao comando da Seleção, no entanto, Júlio César se firmou como titular na meta brasileira. Sempre ligado no jogo, líder em campo e capaz de fazer defesas incríveis, o carioca ficou de fora da Copa América 2007, mas brilhou tanto na campanha invicta do Brasil na Copa das Confederações da FIFA 2009 quanto nas eliminatórias para a África do Sul 2010.
No torneio classificatório, Júlio César ficou oito partidas sem sofrer gols — cinco das quais em sequência — nos doze primeiros jogos da Seleção, o que garantiu ao Brasil a liderança da competição. Ele terminou as eliminatórias como destaque indiscutível do selecionado canarinho, com a impressionante marca de apenas 0,61 gol sofrido por jogo.


2 – MAICON

Nome completo: Maicon Douglas Sisenando
Data de Nascimento: 26 July 1981
Altura: 186 cm
Número da camisa: 2
Posição: Defensor
Clube atual: Inter (ITA)
Jogos Pela Seleção: 57
Gols Pela Seleção: 5
Primeira Partida Internacional: México - Brasil (13-07-2003)

História do Clube

AS Monaco (FRA): De 2004 a 2006
Cruzeiro (BRA): De 2001 a 2004
Criciúma (BRA): De 2000 a 2000
Cruzeiro (BRA): De 1999 a 2000


Desde que assumiu o comando da seleção brasileira, Dunga nunca precisou se preocupar com falta de qualidade na lateral direita. Em meio a diversos concorrentes experientes e habilidosos, quem acabou conquistando a camisa dois foi o gaúcho Maicon. Apesar de disputar posição com o aclamado Daniel Alves, o jogador da Internazionale garantiu o seu lugar com a força física e a velocidade que mostra em campo. Além de tudo, conforme o próprio Dunga, ele ainda tem voz de comando no vestiário.
Nascido em julho de 1981 na cidade de Novo Hamburgo, Maicon surgiu para o mundo em 2001, quando assumiu a titularidade do Cruzeiro e disputou a Copa do Mundo Sub-20 da FIFA na Argentina. Ele estreou na seleção principal dois anos depois, quando o Brasil disputou a Copa Ouro com jogadores sub-23. Os comandados de Ricardo Gomes perderam do México por 1 a 0 na final, mas Maicon foi um dos dois brasileiros escolhidos para a seleção do torneio, ao lado de Kaká.
O lateral fez parte do time cruzeirense que conquistou o Campeonato Mineiro, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro em 2003. No torneio pré-olímpico em 2004, ele marcou um golaço contra o Paraguai após driblar cinco jogadores. Mesmo assim, não conseguiu evitar o fracasso que foi a desclassificação do país. O lateral começou a ser procurado por clubes europeus e acabou no Monaco, onde teve duas boas temporadas antes de chegar à Internazionale em 2006.
Veloz e equilibrado, Maicon se destaca no toque de bola, nos cruzamentos precisos e nas finalizações potentes. Com tantas qualidades, deu grande contribuição ao time que é hoje o pentacampeão italiano e confirmou o seu nome entre os melhores laterais da atualidade em todo o mundo.

3 – LÚCIO


Nome completo: Lucimar da Silva Ferreira
Data de Nascimento: 8 May 1978
Altura: 188 cm
Número da camisa: 3
Posição: Defensor
Clube atual: Inter (ITA)
Jogos Pela Seleção: 90
Gols Pela Seleção: 4
Primeira Partida Internacional: Brasil - Colômbia (15-11-2000)


História do Clube

Bayern München (GER): De 2004 a 2009
Bayer Leverkusen (GER): De 2001 a 2004
Internacional (BRA): De 1998 a 2000

Se a Seleção Brasileira construiu sua reputação mundial pelo futebol ofensivo, nos últimos anos foi graças também à defesa que os principais títulos foram conquistados. E na maioria das campanhas, Lúcio foi um dos pilares do setor. Por isso mesmo, na África do Sul o zagueiro disputará sua terceira Copa do Mundo da FIFA, a primeira como capitão, e buscará o hexacampeonato mundial.
Já considerado um dos maiores defensores da história do futebol brasileiro, Lúcio iniciou sua passagem pela Seleção Brasileira nas Olimpíadas de Sydney-2000. Mesmo com o tropeço, ganhou chances no time titular nas eliminatórias sul-americanas. A troca de treinadores pouco antes da Copa do Mundo da FIFA não interferiu em sua convocação, e ele se tornou peça fundamental no elenco de Luiz Felipe Scolari.
Na Coreia do Sul/Japão 2002, formou ao lado de Roque Júnior e Edmílson uma defesa quase intransponível, que sofreu somente quatro gols na campanha. Mesmo com uma falha no jogo contra Inglaterra, encerrou a participação em alta – foi um dos três a terem jogado todos os 630 minutos – e também como um dos principais nomes do grupo que passaria a ser comandado por Carlos Alberto Parreira.
No percurso até a Copa do Mundo da FIFA 2006, participou das Copas das Confederações de 2003 e 2005, conquistando o título da segunda. No Mundial da Alemanha, teve participação irrepreensível ao lado de Juan, não cometendo faltas até as quartas-de-final, na derrota para a França. Mesmo após a criticada campanha, manteve seu lugar e assumiu a braçadeira de capitão do time de Dunga.
Ainda pela Seleção, não participou da conquista da Copa América de 2007 por estar se recuperando de cirurgia, mas retornou logo ao time e foi campeão da Copa das Confederações de 2009, marcando o gol decisivo contra os Estados Unidos aos 39 minutos do segundo tempo.
Lúcio começou a carreira jogando pelo Internacional-RS, foi vendido ao Bayer Leverkusen em 2001 e já no ano seguinte foi vice-campeão da Liga dos Campeões. No Bayern de Munique, teve ainda mais sucesso ao conquistar três títulos nacionais e três Copas da Alemanha nos mesmos anos. Em 2009, após reformulação do elenco bávaro, assinou com a Internazionale de Milão, realizando grande campanha na Liga dos Campeões e no Campeonato Italiano.

4 – JUAN


Nome completo: Juan Silveira dos Santos
Data de Nascimento: 1 February 1979
Altura: 182 cm
Número da camisa: 4
Posição: Defensor
Clube atual: AS Roma (ITA)
Jogos Pela Seleção: 73
Gols Pela Seleção: 6
Primeira Partida Internacional: Brasil - Peru (15-07-2001)

História do Clube

Bayer Leverkusen (GER): De 2002 a 2007
Flamengo (BRA): De 1996 a 2002

Seja com as cores do Flamengo, do Bayer Leverkusen, da Roma ou da seleção brasileira, Juan sempre foi um adversário difícil para qualquer atacante. Capaz de desarmar com perfeição e se posicionar de forma inteligente, ele estreou com a camisa canarinho em 2001 e é titular da zaga ao lado de Lúcio desde 2004.
Juan começou como profissional no Flamengo em 1996 e foi logo saudado como autêntico herdeiro da linhagem de nomes como Aldair e Mozer. Os seis anos do zagueiro no Mengão foram muito lucrativos, com quatro Campeonatos Cariocas e uma Copa Mercosul em 1999.
O Bayer Leverkusen levou Juan em 2002 para o futebol alemão, onde ele se estabeleceu como um dos grandes jogadores de defesa apesar de não ter conquistado nenhum título. Cinco anos depois, o ex-flamenguista chegou à Roma, time no qual, mesmo prejudicado por lesões, conquistou a Copa da Itália em 2008 e teve bons desempenhos na Série A.
O zagueiro ajudou o Brasil a vencer a Copa América em 2004 e 2007 e a Copa das Confederações da FIFA em 2005 e 2009, quando uma lesão muscular contra a Itália o impediu de seguir jogando. Juan também foi um dos poucos jogadores que se salvaram na campanha brasileira na Copa do Mundo da FIFA 2006 e deverá ser mais uma vez titular na África do Sul 2010 apesar das contusões que enfrentou.


5- FELIPE MELO


Nome completo: Felipe Melo Vicente de Carvalho
Data de Nascimento: 26 June 1983
Altura: 183 cm
Número da camisa: 5
Posição: Meio-campista
Clube atual: Juventus (ITA)
Jogos Pela Seleção: 17
Gols Pela Seleção: 2
Primeira Partida Internacional: Brasil - Itália (10-02-2009)

História do Clube


Fiorentina (ITA): De 2008 a 2009
UD Almería (ESP): De 2007 a 2008
Racing Santander (ESP): De 2005 a 2007
RCD Mallorca (ESP): De 2005 a 2005
Cruzeiro (BRA): De 2003 a 2003
Flamengo (BRA): De 2001 a 2002
Diego Armando Maradona o elegeu como uma surpresa do futebol internacional em 2009. O elogio veio apenas cinco meses depois da primeira convocação do volante da Juventus para a Seleção Brasileira, uma convocação que pegou de surpresa os torcedores do país. Felipe Melo teve, de fato, um começo de carreira meteórico com a Amarelinha.
Foi algo que poucos no Brasil apostavam. Hoje atleta da Juventus, Felipe Melo foi revelado pelo Flamengo em 2001 e defendeu o clube até 2003. Depois, passou por outras forças nacionais, como Cruzeiro e Grêmio, até partir para a Europa, sem fazer muito barulho.
Defendeu Mallorca, Racing Santander e Almería na Espanha, reconstruindo seu futebol de um meio-campista mais avançado para um volante forte na marcação. Passou para a Fiorentina, e foi lá que passou a ser observado atentamente pelo técnico Dunga, até subiu um degrau rumo à Velha Senhora.
O jogador hoje fala com muita confiança sobre sua trajetória gradual até ganhar a confiança do comandante da Seleção que lutará pelo hexacampeonato na Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010.
“Muitas vezes zombavam de mim quando falava que tinha esse sonho”, afirma. “Consegui realizá-lo porque trabalhei e tive muita persistência. Cheguei à seleção com 25 anos. Teve gente que chegou com 18 ou 20, mas tem gente que chegou jovem assim e não disputou nada importante.”
Felipe destaca a organização tática da Seleção como grande trunfo na luta pelo título e a amizade entre os atletas. “É de uma união muito grande dentro de campo. Você vê os jogadores sempre ajudando um ao outro. Todo mundo corre, marca e se dedica. Você vê caras como Kaká e Robinho marcando”, diz o volante, cujo retrospecto nas eliminatórias mostra sua importância: venceu cinco dos seis jogos que disputou na reta final da disputa.


6 - MICHEL BASTOS


Nome completo: Michel Fernandes Bastos
Data de Nascimento: 2 August 1983
Altura: 179 cm
Número da camisa: 6
Posição: Defensor
Clube atual: Lyon (FRA)
Jogos Pela Seleção: 4
Gols Pela Seleção: 1
Primeira Partida Internacional: Brasil - Inglaterra (14-11-2009)


História do Clube


Lille OSC (FRA): De 2006 a 2009
Atlético-PR (BRA): De 2006 a 2006
Figueirense (BRA): De 2005 a 2005
Grêmio (BRA): De 2004 a 2004
Atlético-PR (BRA): De 2003 a 2003
Excelsior (NED): De 2002 a 2003


Um dos últimos jogadores a ser testado por Dunga, Michel Bastos aproveitou o momento de baixa de alguns concorrentes da posição e conquistou a confiança do treinador para ser o lateral esquerdo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010.
O jogador de 26 anos só foi convocado pela primeira vez em outubro de 2009 para os amistosos contra Inglaterra e Omã, mas teve boas atuações. Em 2010, foi titular no único jogo de preparação antes do Mundial, na vitória por 2 a 0 contra a Irlanda, e confirmou sua posição no time principal, desbancando concorrentes como Gilberto e André Santos, este titular no título da Copa das Confederações de 2009.
Lateral esquerdo de formação, Michel Bastos iniciou a carreira no Rio Grande do Sul, teve uma passagem sem sucesso pela Holanda e se destacou no Campeonato Brasileiro de 2005 pelo Figueirense. As atuações chamaram a atenção de alguns clubes europeus e foi o Lille quem o contratou. No clube francês, adaptou-se rapidamente ao novo estilo e foi testado no meio de campo, de onde não saiu mais.
Sua melhor temporada no clube do norte francês foi em 2008/09, quando marcou 14 gols e ainda contribuiu com dez passes decisivos, sendo importante na campanha que deu uma vaga ao elenco na Liga Europa do ano seguinte. Mais ainda, foi escolhido para o time ideal do campeonato daquele ano.
Em grande forma, foi vendido ao Lyon em uma das maiores transações da história do Lille. No novo clube, teve bom início, mas caiu de produção e ainda sofreu lesões que o fizeram perder a condição de titular. De novo em forma, reconquistou uma posição de destaque no grupo e teve participação decisiva na histórica campanha do clube na Liga dos Campeões da UEFA.


Data de Nascimento: 14 June 1981
Altura: 174 cm
Número da camisa: 7
Posição: Meio-campista
Clube atual: Galatasaray (TUR)
Jogos Pela Seleção: 42
Gols Pela Seleção: 7
Primeira Partida Internacional: Brasil - Colômbia (13-10-2004)

História do Clube


Manchester City (ENG): De 2007 a 2009
Shakhtar Donetsk (UKR): De 2005 a 2007
Santos (BRA): De 2001 a 2004
Guarani (BRA): De 1999 a 1999

Elano não é o típico meia-atacante brasileiro, mas conquistou o seu lugar na seleção à base de muita disciplina, efetividade e sintonia com o técnico Dunga. Ele cumpriu um papel importante no Santos que conquistou o Brasileirão em 2002 e 2004, mas ficou muitas vezes em segundo plano enquanto a genialidade de Diego e Robinho ganhava as manchetes.
A transferência para o Shakhtar Donetsk em 2005 deu a Elano a chance de fazer o seu próprio nome, o que ele conseguiu com gols e assistências frequentes na campanha do título ucraniano em 2006.
Em um salto na carreira, o jogador acertou a transferência ao Manchester City para disputar a temporada 2007/08. Ele chegou causando ótima impressão, graças a um desempenho que combinava esforço, arrancadas, passes criativos e chutes de longa distância. Porém, teve problemas no segundo semestre e acabou ficando a maior parte do tempo no banco. Na temporada seguinte aconteceu praticamente a mesma coisa: um ótimo começo e a perda do brilho à medida que a campanha avançava.
As atuações ocasionais na Inglaterra, combinadas com desempenhos bem mais sólidos pela Seleção, acabaram rendendo uma oferta do Galatasaray, e Elano chegou à Turquia em julho de 2009.
Elano estreou pelo Brasil em 2004 e teve talvez o seu grande momento em um amistoso contra a Argentina em Londres dois anos depois, quando marcou dois belos gols na vitória brasileira por 3 a 0. Ele também fez gols memoráveis nas vitórias contra Portugal e Itália em amistosos em 2008 e 2009 e foi gradualmente convencendo Dunga como um meia polivalente que disputa posição com o ex-cruzeirense Ramires.

8 – GILBERTO SILVA

Nome completo: Gilberto Aparecido da Silva
Data de Nascimento: 7 October 1976
Altura: 184 cm
Número da camisa: 8
Posição: Meio-campista
Clube atual: Panathinaikos (GRE)
Jogos Pela Seleção: 87
Gols Pela Seleção: 3
Primeira Partida Internacional: Bolívia - Brasil (07-11-2001)


História do Clube

Arsenal (ENG): De 2002 a 2008
Atlético-MG (BRA): De 2000 a 2002
América-MG (BRA): De 1996 a 1999


Ainda adolescente, Gilberto Silva resolveu desistir do futebol para trabalhar em uma fábrica de doces. Para sorte da torcida brasileira, ele decidiu dar outra chance ao esporte e acabou trilhando uma carreira que o levou a cumprir uma função crucial nos títulos da Copa do Mundo da FIFA em 2002 e da Copa das Confederações da FIFA em 2005 e 2009, além de vestir a braçadeira de capitão na conquista da Copa América em 2007.
Nascido em Lagoa da Prata em 1976, Gilberto treinou nas categorias de base do América Mineiro, mas deixou o clube em busca de estabilidade financeira. Contudo, aos 21 anos, foi convencido a retornar ao Coelho, com o qual venceu a Série B em 1997.
Em 2000, ele foi para o rival Atlético. No Galo, o técnico Carlos Alberto Parreira transformou o zagueiro de 1,85 metro de altura em um volante que mostrou tanta qualidade que foi convocado para a seleção e estreou com a camisa canarinho em outubro de 2001, menos de oito meses antes do início da Copa do Mundo da FIFA.
Como o titular Emerson sofreu uma lesão de última hora, Gilberto acabou jogando integralmente todas as partidas da campanha vitoriosa do Brasil na Coreia do Sul e no Japão. Ele também foi muito elogiado pela sólida cobertura da retaguarda, por quase nunca perder a bola e por não cometer faltas.
Logo depois do Mundial, Gilberto foi para terras britânicas defender o Arsenal, onde passou seis boas temporadas, conquistando duas vezes a Copa da Inglaterra e uma vez o Campeonato Inglês. Em julho de 2008, foi negociado com o Panathinaikos.
Gilberto Silva foi convocado regularmente por Dunga durante as eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA 2010 e se destacou como um dos líderes da seleção na Copa das Confederações da FIFA 2009.




9 – LUIS FABIANO

Data de Nascimento: 8 November 1980
Altura: 186 cm
Número da camisa: 9
Posição: Atacante
Clube atual: Sevilla FC (ESP)
Jogos Pela Seleção: 37
Gols Pela Seleção: 25
Primeira Partida Internacional: Nigéria - Brasil (11-06-2003)


História do Clube


FC Porto (POR): De 2004 a 2005
São Paulo (BRA): De 2002 a 2004
Rennes (FRA): De 2002 a 2002
São Paulo (BRA): De 2001 a 2001
Rennes (FRA): De 2000 a 2001
Ponte Preta (BRA): De 1998 a 2000


Há não muito tempo, Luís Fabiano parecia ter perdido o bonde da história e visto passar sua chance de se firmar como um astro de primeira linha. Mas aquele momento ficou para trás e hoje ele é uma importante figura do Sevilla e da seleção brasileira.
O "Fabuloso" começou a carreira na Ponte Preta, mas, apesar de se destacar alguns anos depois no São Paulo com alguns golaços e o título do Torneio Rio-São Paulo, decepcionou em passagens por Rennes e Porto, este último após uma contratação milionária em 2004. Um ano depois, ele passou a defender o Sevilla, no qual teve os melhores momentos da sua carreira.
Forte, rápido e dono de um chute potente e preciso, o jogador nascido em Campinas ajudou o time a conquistar dois títulos consecutivos da Copa da UEFA e um da Copa do Rei, além de estabelecer o Sevilla como um clube de respeito dentro do futebol europeu. Luís Fabiano também foi o vice-artilheiro do Campeonato Espanhol de 2007/2008 com 24 gols.
Nascido em novembro de 1980, o "Fabuloso" estreou com a seleção em 2003 e fez parte do elenco que conquistou a Copa América no ano seguinte. Fora do Mundial de 2006, foi apenas em 2007 que ele concretizou o seu lugar no selecionado com grandes atuações nas eliminatórias para a África do Sul 2010.
Luís Fabiano foi o vice-artilheiro do torneio classificatório sul-americano com nove gols, atrás apenas do chileno Humberto Suazo. Ele também se destacou na Copa das Confederações da FIFA 2009, em que ficou com a Chuteira de Ouro com cinco gols em cinco partidas, inclusive dois na final contra os EUA.


10 – KAKÁ

Nome completo: Ricardo Izecson dos Santos Leite
Data de Nascimento: 22 April 1982
Altura: 186 cm
Número da camisa: 10
Posição: Meio-campista
Clube atual: Real Madrid (ESP)
Jogos Pela Seleção: 77
Gols Pela Seleção: 26
Primeira Partida Internacional: Brasil - Bolívia (31-01-2002)


História do Clube


AC Milan (ITA): De 2003 a 2009
São Paulo (BRA): De 2000 a 2003


Em qualquer lista dos melhores jogadores do mundo da atualidade, Kaká é nome certo. Capaz de superar a marcação sem muito esforço, dar passes que quebram qualquer sistema defensivo e marcar gols de longa distância, o meia-atacante conquistou o prêmio de Jogador do Ano da FIFA em 2007 e entrou entre os cinco finalistas da maior premiação individual do futebol nos dois anos seguintes.
Nascido em Brasília em 1982, foi ainda criança com a família para a capital paulista, onde começou a praticar vários esportes, entre eles o tênis. Para sorte dos torcedores no mundo todo, o jovem decidiu se dedicar apenas ao futebol e, depois de se recuperar de uma lesão grave sofrida aos 15 anos, passou a defender o São Paulo.
Kaká estreou pelo Tricolor em janeiro de 2001 e ajudou o clube a conquistar o Torneio Rio-São Paulo. No ano seguinte, foi chamado para o plantel que disputou a Copa do Mundo da FIFA. Mesmo tendo jogado poucos minutos no Extremo Oriente, ele voltou ao Brasil com a medalha de campeão. No final do ano, conquistou a Bola de Ouro da Revista Placar. Em 2003, foi ainda muito jovem para o Milan.
O time italiano contava com jogadores como Rivaldo e Rui Costa para a posição dele, o que dava a entender que Kaká seria emprestado para ganhar experiência. Porém, o ex-são paulino conseguiu entrar no time de cima devido a lesões de companheiros e acabou superando as expectativas, com dez gols em 30 partidas da campanha que levou o time ao título da Serie A.
Kaká continuou se destacando nas temporadas seguintes, especialmente na Liga dos Campeões da UEFA de 2004/2005, competição em que o time só perdeu a final nos pênaltis contra o Liverpool. Porém, o melhor ainda estava por vir em 2007, ano em que foi o principal jogador rossonero na conquista do título europeu e da Copa do Mundo de Clubes da FIFA. Entre as inúmeras realizações daquele ano, ele foi escolhido pela segunda vez o melhor jogador da Serie A e também levou o prêmio de Jogador do Ano da FIFA. A temporada de 2008/09 foi prejudicada por lesões, mas, quando esteve em campo, Kaká conseguiu brilhar.
Kaká vem atuando com frequência pelo Brasil desde 2003 e chega à Copa do Mundo da FIFA 2010 com 26 gols em 74 partidas. Com a Seleção, teve o seu primeiro grande momento na conquista da Copa das Confederações da FIFA 2005. No ano seguinte, um golaço de longa distância garantiu a vitória de 1 a 0 sobre a Croácia na estreia brasileira na Copa do Mundo da FIFA. Contudo, ele e os outros integrantes do "Quarteto Mágico" não conseguiram manter o bom futebol no restante do torneio e acabaram sendo eliminados pela França nas quartas de final.
A reputação de Kaká como um líder e um armador de jogadas decisivas ganhou força com belas atuações nas eliminatórias para a África do Sul 2010 e também na Copa das Confederações da FIFA 2009, em que levou os prêmios de melhor jogador do torneio e também da final contra os EUA.


11 - ROBINHO


Nome completo: Robson de Souza
Data de Nascimento: 25 January 1984
Altura: 175 cm
Número da camisa: 11
Posição: Atacante
Clube atual: Santos (BRA)
Jogos Pela Seleção: 74
Gols Pela Seleção: 21
Primeira Partida Internacional: México - Brasil (13-07-2003)


História do Clube


Manchester City (ENG): De 2008 a 2010
Real Madrid (ESP): De 2005 a 2008
Santos (BRA): De 2002 a 2005


A aparência, a posição, a habilidade e a genialidade condenaram o adolescente Robinho ao complicado título de "o novo Pelé". Porém, embora esteja longe de qualquer comparação com o Atleta do Século, o atacante do Santos conseguiu escrever o seu próprio nome entre os grandes jogadores da atualidade.
Robinho apareceu com força em 2002. Ainda com 18 anos, ele formou com Diego a dupla de maior destaque do time que derrotou o Corinthians na final do Campeonato Brasileiro. O Rei das Pedaladas ainda disputou a final da Libertadores em 2003 e conquistou outro título brasileiro com o Peixe em 2004 antes da contratação pelo Real Madrid.
A estreia pela equipe merengue foi excelente, mas as atuações na primeira temporada, mesmo com o título nacional, foram um tanto irregulares. O segundo ano foi bem diferente, com Robinho cumprindo um papel importante, criando e marcando gols com frequência e recebendo aplausos de pé com dribles não só bonitos, mas também produtivos. Para completar, o Real voltou a conquistar o título nacional.
No último dia da janela de transferências em setembro de 2008, Robinho foi contratado pelo Manchester City por um valor de 42,5 milhões de euros. Ele estreou marcando um golaço de falta na derrota diante do Chelsea e logo começou a mostrar o talento que havia custado tanto dinheiro ao clube. Na primeira temporada em Manchester, foi um dos principais artilheiros e criadores de gols da Premier League.
Porém, ótimos momentos foram entremeados com algumas atuações não tão brilhantes, as quais, juntamente com lesões persistentes, acabaram fazendo com que o City concordasse em emprestá-lo ao Santos. Na Vila Belmiro, ele passou a compor um time em grande fase e cheio de promessas que, assim como o Santos campeão brasileiro de 2002, fez um primeiro semestre de encher os olhos em 2010.
À vontade tanto no ataque quanto na criação, Robinho estreou com o Brasil em 2003. Ele esteve entre os titulares que conquistaram a Copa das Confederações da FIFA dois anos depois. Na Copa do Mundo da FIFA 2006, porém, ficou no banco a maior parte do tempo.
Com a saída de Carlos Alberto Parreira e a chegada de Dunga, Robinho virou titular absoluto. Ele respondeu assumindo o comando da seleção que, sem Kaká e Ronaldinho, conquistou a Copa América em 2007. O jogador foi o artilheiro da competição, com seis gols.
Robinho mostrou o mesmo bom futebol nas eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA 2010 e também na campanha vitoriosa da Copa das Confederações da FIFA 2009. Se em 2006 ele foi barrado da titularidade da seleção pelo "Fenômeno" Ronaldo e pelo "Imperador" Adriano, em 2010 Robinho estará em campo enquanto os dois compatriotas terão de assistir ao torneio pela televisão.



12 – GOMES

Nome completo: Heurelho da Silva Gomes
Data de Nascimento: 15 February 1981
Altura: 191 cm
Número da camisa: 12
Posição: Goleiro
Clube atual: Tottenham Hotspur (ENG)
Jogos Pela Seleção: 10
Gols Pela Seleção: 0
Primeira Partida Internacional: México - Brasil (13-07-2003)

História do Clube

PSV (NED): De 2004 a 2008
Cruzeiro (BRA): De 2001 a 2004


Mesmo tendo ficado de fora das últimas convocações nas eliminatórias sul-americanas, o goleiro Gomes vai disputar a Copa do Mundo da FIFA graças à boa experiência internacional adquirida nos seis anos em que vem atuando na Europa. Na África do Sul, ele brigará com Doni pela posição de reserva imediato de Júlio César.
O mineiro de 29 anos foi o primeiro titular da posição na “Era Dunga”, atuando no amistoso contra a Noruega, em agosto de 2006. Em seguida, ainda jogou nas vitórias sobre a Argentina, País de Gales e Equador, mas acabou perdendo espaço mais tarde e só voltou a ser chamado pelo treinador para a Copa das Confederações de 2009 e para o jogo contra o Uruguai, pelas eliminatórias.
Antes, porém, Gomes já havia tido outras passagens na meta brasileira. Na Copa Ouro da CONCACAF, em 2003, foi titular nos cinco jogos da equipe sub-23 que acabou com o vice-campeonato. Com o mesmo grupo, participou da campanha do Pré-Olímpico de 2004, em que o Brasil não obteve a vaga para os Jogos de Atenas. Em 2005, foi chamado por Carlos Alberto Parreira para a Copa das Confederações da Alemanha, mas não jogou e ainda perdeu a chance de disputar a Copa do Mundo da FIFA no ano seguinte.
Nos clubes pelos quais passou, Gomes teve sempre atuações marcantes. Formado nas categorias de base do Cruzeiro, subiu para o profissional em 2002, mas foi no ano seguinte que se firmou como titular, sendo importante para o time que conquistou o Campeonato Mineiro, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro na mesma temporada.
Em 2004, foi negociado com o PSV Eidnhoven, conseguindo importantes façanhas nas quatro temporadas em que ficou no clube holandês. Além de quatro títulos nacionais, Gomes acumulou 40 partidas sem tomar gols em 2006, enquanto em 2007 chegou a ficar 956 minutos consecutivos sem ser vazado. Em 2008, foi para o Tottenham, tendo um início complicado, mas se firmando em seguida com boas atuações.


Data de Nascimento: 6 May 1983
Altura: 173 cm
Número da camisa: 13
Posição: Defensor
Clube atual: Barcelona (ESP)
Jogos Pela Seleção: 34
Gols Pela Seleção: 3
Primeira Partida Internacional: Brasil - Equador (10-10-2006)

História do Clube


Sevilla FC (ESP): De 2003 a 2008
Esporte Clube Bahia (BRA): De 2001 a 2002

A energia e a velocidade que Cafu apresentou na lateral direita do Brasil por mais de uma década têm em Daniel Alves o seu herdeiro no atual plantel canarinho. Muito à vontade partindo para cima da marcação, ele é uma importante força de ataque pelos flancos.
O baiano Dani Alves ficou internacionalmente conhecido na Copa do Mundo Sub-20 da FIFA 2003, quando teve participação fundamental no título brasileiro e foi escolhido o terceiro melhor jogador da competição.
Depois de ganhar a posição de titular no Sevilla, ele começou a se destacar pelas escapadas velozes. Quando fez 22 anos em 2005, já era considerado um dos melhores laterais do mundo. Em 2006 e 2007, ajudou a equipe a conquistar a Supercopa da UEFA, a Copa do Rei, a Supercopa da Espanha e duas Copas da UEFA.
Cobiçado por grandes clubes europeus, Dani foi para o Barcelona em uma transação multimilionária em julho de 2008 e se despediu do Sevilla com lágrimas em uma entrevista coletiva. O jogador nascido em Juazeiro não precisou de muito tempo para se estabelecer no Camp Nou, tornando-se figura importante no aclamado plantel de Pep Guardiola.
Dani estreou com a seleção principal em 2006, mas teve o azar de disputar posição com Maicon, que é titular praticamente desde a chegada do técnico Dunga. O primeiro grande destaque da sua carreira com a Seleção aconteceu na final da Copa América de 2007, quando ele substituiu Elano na meia, criou a jogada do segundo gol e o marcou o terceiro na vitória por 3 a 0 sobre a Argentina. Com o lateral da Internazionale lesionado, ele também teve grande atuação na vitória por 3 a 0 sobre o Peru pelas eliminatórias em abril de 2009.
As grandes atuações de Daniel Alves deram a Dunga uma das suas dores de cabeça mais invejáveis, já que o técnico precisa escolher apenas um entre dois dos melhores laterais direitos da atualidade. Mas a verdade é que Dani é polivalente e capaz de atuar na esquerda e também em uma função de armação no meio-campo, além de ser um grande finalizador de longa distância. Assim, não será nenhuma surpresa se ele aparecer improvisado em outra posição na África do Sul 2010.


Data de Nascimento: 13 February 1981
Altura: 193 cm
Número da camisa: 14
Posição: Defensor
Clube atual: Benfica (POR)
Jogos Pela Seleção: 41
Gols Pela Seleção: 3
Primeira Partida Internacional: Brasil - Honduras (23-07-2001)

História do Clube
Cruzeiro (BRA): De 2000 a 2003

Reserva de confiança da dupla de zaga brasileira, Luisão estreou com a seleção em 2003. De fato, seja na ausência de Lúcio ou Juan, o beque paulista costuma se destacar com a camisa verde e amarela.
Um bom exemplo foi a Copa América de 2004. Ele disputou todos os jogos da campanha do título e marcou um gol na final contra a Argentina, que terminou em 2 a 2 antes da vitória do Brasil nos pênaltis. Luisão fez outro gol decisivo contra a Argentina no triunfo por 3 a 1 pelas eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA 2010 em Rosário, resultado que garantiu a classificação do Brasil.
Ele entrou nas seleções do técnico Parreira para a Copa das Confederações da FIFA 2005 e a Copa do Mundo da FIFA 2006, mas ficou no banco. Contudo, teve mais oportunidades sob o comando de Dunga e provou ser um reserva confiável ao substituir o lesionado Juan na Copa das Confederações da FIFA 2009.
Embora tenha começado a carreira no Juventus de São Paulo em 1999, Luisão, irmão mais velho do zagueiro são-paulino Alex Silva, tornou-se famoso com o Cruzeiro. Uma muralha no centro da defesa e autor de muitos gols em jogadas de escanteio, ele ajudou a Raposa a conquistar duas vezes a Copa do Brasil e uma vez o Campeonato Mineiro antes de ser negociado com o Benfica em 2003.
Apesar de propostas de clubes italianos, Luisão permanece leal ao tradicional time de Lisboa. Ele cumpriu um papel decisivo no título português de 2005 e, em janeiro de 2010, foi escolhido o melhor jogador da equipe no ano anterior pela própria torcida.

15 – THIAGO SILVA


Nome completo: Thiago Emiliano da Silva de Souza
Data de Nascimento: 22 September 1984
Altura: 183 cm
Número da camisa: 15
Posição: Defensor
Clube atual: AC Milan (ITA)
Jogos Pela Seleção: 7
Gols Pela Seleção: 0
Primeira Partida Internacional: Venezuela - Brasil (12-10-2008)


História do Clube


Fluminense (BRA): De 2006 a 2008
Dinamo Moskva (RUS): De 2005 a 2005
Juventude (BRA): De 2004 a 2004


Físico de zagueiro, habilidade de atacante. Posicionado na defesa e com a missão principal de parar os atacantes adversários, Thiago Silva também é conhecido pelos dribles, boas saídas de jogo e pela subida muitas vezes decisiva ao ataque. Além disso, tem um chute fortíssimo. Foi assim desde que apareceu no Juventude, no Campeonato Brasileiro de 2004, pouco antes de completar 20 anos.
Após despontar, o Porto o levou naquela temporada mesmo, mas as coisas não correram bem para o zagueiro, que sofreu com a mudança climática e enfrentou problemas respiratórios. Assim, os portugueses o emprestaram no ano seguinte para o Dínamo de Moscou. Como era de se esperar, o frio o derrubou mais uma vez, desta vez com um quadro ainda mais sério: tuberculose e quatro meses de internação.
A salvação veio com o interesse do Fluminense. Ele voltou para o Brasil em 2006, ao seu time de coração, e sua carreira deslanchou. Foi titular absoluto do time carioca, a quem ajudou a conquistar a Copa do Brasil de 2007, e teve ótima participação no vice-campeonato da Copa Libertadores do ano seguinte.
O futebol diferenciado chamou a atenção de Dunga, que o convocou para os Jogos Olímpicos de Pequim, como um dos três atletas com idade acima de 23 anos. Mas uma contusão antes do torneio só permitiu que atuasse em duas partidas.
Mesmo assim passou a ser nome freqüente na lista de convocados de Dunga para a seleção nacional. No final de 2008, foi contratado pelo Milan, mas só ganhou a condição de titular na metade do ano passado, quando o time italiano voltou a ter o número permitido de jogadores não-comunitários.
A falta de jogos o tirou da seleção, mas Dunga não o esqueceu. Em novembro passado, foi convocado para dois amistosos do Brasil após o corte de Luisão e voltou a aparecer na equipe no amistoso de março contra a Irlanda. Na África do Sul deverá entrar apenas se Lúcio e Juan não atuarem, mas a experiência certamente deverá ser importante para o futuro deste promissor zagueiro.



16 – GILBERTO LIMA


Nome completo: Gilberto Aparecido da Silva
Data de Nascimento: 25 April 1976
Altura: 180 cm
Número da camisa: 16
Posição: Defensor
Clube atual: Cruzeiro (BRA)
Jogos Pela Seleção: 32
Gols Pela Seleção: 1
Primeira Partida Internacional: Nigéria - Brasil (11-06-2003)


História do Clube


Tottenham Hotspur (ENG): De 2008 a 2009
Hertha BSC (GER): De 2004 a 2008
São Caetano (BRA): De 2004 a 2004
Grêmio (BRA): De 2002 a 2003
Vasco da Gama (BRA): De 1999 a 2001
Internazionale (ITA): De 1999 a 1999
Flamengo (BRA): De 1996 a 1997


Durante a gestão de Dunga na Seleção Brasileira, a Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 esteve muito perto de Gilberto, chegou a ficar longe e acabou se confirmando, na posição que passou por mais testes para a composição do time que busca o hexacampeonato.
Reserva de Roberto Carlos na Alemanha 2006, o experiente jogador foi um dos poucos atletas participantes da frustrada campanha a ser lembrado com regularidade pelo treinador em seu começo de trabalho, tendo participado em 2007 de quatro partidas das eliminatórias da CONMEBOL rumo ao Mundial e de mais duas em 2008.
Depois, o lateral acabou entrando em má fase, enfrentou dificuldades em sua passagem pelo Tottenham e acabou perdendo espaço na disputa para vestir a Amarelinha. À distância, observou a equipe conquistar a Copa das Confederações da FIFA África do Sul 2009 com André Santos e Kleber escalados no setor.
Um retorno ao Brasil, porém, ajudou a pesar a balança ao seu favor novamente. Gilberto voltou a vestir a camisa do Cruzeiro e brilhou. Além disso, demonstrou versatilidade ao assumir uma função de homem de criação no meio-campo, com forte chegada à área.
A subida de produção não passou despercebida pela comissão técnica da Seleção e só fez encorpar seu extenso currículo em cenário nacional. Além da experiência bem-sucedida pela Raposa, o veterano já viveu grandes momentos por outras potências como Flamengo, Vasco e Grêmio – internacionalmente, ele também atuou na Itália (Internazionale) e Alemanha (Hertha Berlim).
No fim, Gilberto ganhou a vaga para disputar a Copa pela segunda vez consecutiva, feito que engrandece a carreira de um jogador que não é dos mais badalados, mas oferece à equipe uma válvula de escape regular e habilidosa pela esquerda.



17 – JOSUÉ

Nome completo: Josué Anunciado de Oliveira
Data de Nascimento: 19 July 1979
Altura: 169 cm
Número da camisa: 17
Posição: Meio-campista
Clube atual: Wolfsburg (GER)
Jogos Pela Seleção: 26
Gols Pela Seleção: 1
Primeira Partida Internacional: Brasil - Gana (27-03-2007)

História do Clube

São Paulo (BRA): De 2005 a 2007
Goiás (BRA): De 1997 a 2004


A qualidade de Josué passou um tanto despercebida durante oito anos no Goiás, mesmo com cinco títulos estaduais. O reconhecimento veio depois da transferência em 2004 para o São Paulo, clube no qual continuou colecionando troféus.
Volante de baixa estatura, mas grande pegada, ele teve desempenhos consistentes nos títulos do Campeonato Paulista, da Copa Libertadores e da Copa do Mundo de Clubes da FIFA em 2005. Embora não tenha o hábito de fazer gols nem dar assistências, Josué mostrou solidez à frente da retaguarda são-paulina e ajudou o time a vencer o Brasileirão em 2006 e 2007.
Ainda em 2007, o meio-campista foi para o Wolfsburg, clube com o qual, depois de um início pouco convincente, conseguiu conquistar o título da Bundesliga e acabou inclusive como capitão.
Josué foi convocado para a seleção brasileira que disputou a Copa América em 2007. Ele começou o torneio no banco, mas chegou ao fim da competição como integrante de um esquema com três volantes, ao lado de Gilberto Silva e Mineiro, ajudando o Brasil a erguer o troféu.
A partir de então, ele apareceu em praticamente todas as convocações de Dunga nas eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA 2010 e também fez parte do selecionado campeão da Copa das Confederações da FIFA 2009.



18 – RAMIRES

Nome completo: Ramires Santos do Nascimento
Data de Nascimento: 24 March 1987
Altura: 179 cm
Número da camisa: 18
Posição: Meio-campista
Clube atual: Benfica (POR)
Jogos Pela Seleção: 11
Gols Pela Seleção: 0
Primeira Partida Internacional: Uruguai - Brasil (06-06-2009)

História do Clube

Cruzeiro (BRA): De 2007 a 2009


Ramires dos Santos Nascimento foi uma aposta do técnico Dunga que se mostrou certeira. De revelação do Cruzeiro a nome regular na Seleção Brasileira, o meia progrediu rapidamente, como gosta de fazer em campo para deixar os defensores para trás.
Com seu corpo franzino, velocidade e versatilidade, o jogador se encaixou com facilidade no esquema desenhado pelo treinador e se tornou uma peça vital para uma equipe que gosta de atacar tanto com controle de posse de bola como em investidas fulminantes em contragolpe.
Os resultados não deixam muitas dúvidas a respeito de que a estratégia não só parece bem encaminhada para a disputa da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010, como Ramires se encaixou perfeitamente dentro dela
O atleta participou dos cinco jogos, com cinco vitórias, do título da Copa das Confederações África do Sul 2009. No Torneio de Futebol das Olimpíadas Atenas 2004, esteve presente em quatro jogos e venceu os quatro, terminando com a medalha de bronze (na semifinal contra a Argentina, único revés do time, estava fora de campo). Nas eliminatórias sul-americanas, disputou cinco jogos, com três vitórias, um empate e uma derrota. Fazendo as contas: 12 triunfos em 14 partidas.
Esse sucesso com a Amarelinha levou o meia do Cruzeiro para o Benfica, clube no qual caiu nas graças dos torcedores também num instante. “No Benfica jogo mais aberto na direita, com funções ofensivas e defensivas também, de forma parecida com a que tenho atuado na Seleção”, afirmou o jogador ao FIFA.com. Porque com Ramires as coisas, em campo ou fora dele, parece se desenvolver sempre assim. Com muita rapidez.

19 – JÚLIO BAPTISTA



Nome completo: Júlio César Baptista
Data de Nascimento: 1 October 1981
Altura: 185 cm
Número da camisa: 19
Posição: Meio-campista
Clube atual: AS Roma (ITA)
Jogos Pela Seleção: 46
Gols Pela Seleção: 5
Primeira Partida Internacional: Brasil - Japão (04-06-2001)


História do Clube


Real Madrid (ESP): De 2007 a 2008
Arsenal (ENG): De 2006 a 2007
Real Madrid (ESP): De 2005 a 2006
Sevilla FC (ESP): De 2003 a 2005
São Paulo (BRA): De 2000 a 2003


Júlio Baptista surgiu para o mundo como volante em 2000, mas foi em funções mais avançadas que ele se destacou nos anos seguintes. Mesmo atuando na contenção, ele marcou dez gols em 73 partidas pelo São Paulo.
Baptista foi para o Sevilla em 2003. Na primeira temporada com o clube, foi escalado como meia-atacante, marcando 20 gols em 30 jogos. Por causa da grande capacidade de finalização, ele foi usado como atacante na campanha de 2004/05. A mudança deu certo: ele brilhou e o Sevilla voltou a se classificar para a Copa da UEFA.
O Real Madrid chegou antes do Arsenal para contratar o jogador, que havia marcado 50 gols em 81 jogos pelo Sevilla até julho de 2005. Entretanto, Baptista não conseguiu repetir o mesmo futebol no Santiago Bernabéu e foi emprestado justamente à equipe de Londres para a temporada 2006/07.
O brasileiro fez parte de um plantel que ficou apenas em quarto lugar no Campeonato Inglês e, depois de um breve retorno ao Real, foi para a Roma em agosto de 2008. Na capital italiana ele teve uma boa temporada de estreia apesar das dificuldades da equipe.
Júlio Baptista foi lembrado em muitas convocações da Seleção desde 2001 — e esquecido em muitas outras. Ele não ficou entre os 23 escolhidos por Parreira para a Copa do Mundo da FIFA 2006, mas fez o gol que abriu o placar no 3 a 0 contra a Argentina que decidiu a Copa América de 2007 e foi escalado bem mais frequentemente sob o comando de Dunga.
Com outras atuações decisivas e muita determinação e disciplina em campo, Julio se transformou em um dos símbolos do elenco que chega ao Mundial de 2010. Reserva imediato de Kaká, é uma opção de confiança na função de quarto homem do meio-campo.



20 – KLÉBERSON
Nome completo: José Kléberson Pereira
Data de Nascimento: 19 June 1979
Altura: 175 cm
Número da camisa: 20
Posição: Meio-campista
Clube atual: Flamengo (BRA)
Jogos Pela Seleção: 31
Gols Pela Seleção: 2
Primeira Partida Internacional: Brasil - Bolívia (31-01-2002)

História do Clube

Manchester United (ENG): De 2003 a 2005
Atlético-PR (BRA): De 1999 a 2003


Jogador cerebral, que atua tanto de volante quanto de meia, Kléberson foi apontado como o motor da seleção brasileira que conquistou o pentacampeonato na Coreia do Sul/Japão 2002 sob o comando de Luiz Felipe Scolari. Uma credencial e tanto para o atleta, que só ganhou a sua primeira chance no selecionado nacional pouco mais de quatro meses antes daquele torneio.
Nascido em Uraí, interior do Paraná, Kléberson foi revelado no Atlético Paranaense em 1998 e fez parte do grupo que conquistou os Estaduais de 2000 e 2001 e o Brasileirão de 2001. Porém, foi a sua atuação no Mundial do ano seguinte que despertou o interesse do Manchester United, clube onde estreou em 2003.
Depois de dois anos sem conseguir se firmar no time inglês, ele foi tentar a sorte no Besiktas. Apesar do título da Copa da Turquia, a passagem do volante pelo time teve altos e baixos. Assim, ele fez as malas em 2007, encerrando um período um tanto decepcionante na Europa.
Naquele mesmo ano, o Flamengo repatriou Kléberson, que começou a recuperar o tempo perdido. Ótimo defensor, dono de uma boa visão de jogo e capaz de dar passes precisos, ele ajudou o Mengão a conquistar o Estadual do Rio em 2008 e 2009. Ainda no ano passado, ele foi importante para que o rubro-negro levantasse a taça do Brasileirão, apesar de passar um período afastado por uma lesão no ombro.
O bom futebol de Kléberson não passou despercebido por Dunga. Assim, quando Ânderson foi cortado do grupo que disputaria a Copa da Confederações 2009, o técnico chamou o volante do Flamengo como substituto. Aquela era a sua primeira convocação em seis anos, e o campeão mundial de 2002 não deixou a chance passar, convencendo o treinador de que experiência e versatilidade são qualidades fundamentais para a busca do hexacampeonato.



21 – NILMAR

Nome completo: Nilmar Honorato da Silva
Data de Nascimento: 14 July 1984
Altura: 180 cm
Número da camisa: 21
Posição: Atacante
Clube atual: Villarreal (ESP)
Jogos Pela Seleção: 16
Gols Pela Seleção: 8
Primeira Partida Internacional: México - Brasil (13-07-2003)

História do Clube

Internacional (BRA): De 2007 a 2009
Corinthians (BRA): De 2005 a 2007
Olympique Lyon (FRA): De 2004 a 2005
Internacional (BRA): De 2003 a 2004


O atacante Nilmar estreou profissionalmente em 2003, com apenas 18 anos, e já se destacou logo de início. Depois uma transferência frustrada para a Europa e de sofrer duas lesões graves, que o afastaram dos gramados por um longo período, ele ressurgiu como um dos mais eficientes e brilhantes jogadores ofensivos do Brasil.
Nilmar começou a carreira no Internacional e logo ajudou o clube a conquistar os Campeonatos Gaúchos de 2003 e 2004. Pouco depois, foi contratado pelo Lyon em um acordo milionário, mas não conseguiu se firmar no tradicional clube francês por conta da acirrada disputa pelas vagas no time titular. Assim, voltou ao Brasil em 2005 para defender o Corinthians.
A velocidade, os dribles desconcertantes e as finalizações certeiras de Nilmar foram fundamentais para o Timão conquistar o Brasileirão naquele mesmo ano. No entanto, duas rupturas dos ligamentos (uma em cada joelho) e a falta de sequência de jogos limitaram o seu rendimento nos dois anos seguintes. Então, em 2007 ele voltou ao Inter para tentar um recomeço.
O retorno ao time que o revelou foi importante. Nilmar entrou na melhor fase de toda a carreira e levou o Colorado ao bicampeonato gaúcho e ao título da Copa Sul-Americana 2008.
O atacante estreou na Seleção em 2003 e, depois de quatro anos sem vestir a camisa do Brasil, voltou ao grupo nas eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 contra a Bolívia, em setembro de 2008. Depois, fez parte do elenco que conquistou a Copa das Confederações na África do Sul em junho de 2009. Logo em seguida, Nilmar assinou um contrato de cinco anos com o Villarreal da Espanha.
Ainda no ano passado, ele se firmou como uma das principais opções de Dunga para o ataque, marcando seis gols nas últimas cinco partidas do Brasil em 2009, três dos quais no mesmo jogo, contra o Chile.



22 – DONI

Nome completo: Doniéber Alexander Marangon
Data de Nascimento: 22 October 1979
Altura: 194 cm
Número da camisa: 22
Posição: Goleiro
Clube atual: AS Roma (ITA)
Jogos Pela Seleção: 10
Gols Pela Seleção: 0
Primeira Partida Internacional: Brasil - Turquia (05-06-2007)

História do Clube

Juventude (BRA): De 2005 a 2005
Cruzeiro (BRA): De 2004 a 2004
Corinthians (BRA): De 2001 a 2003
Botafogo (BRA): De 2000 a 2001


Mesmo não atravessando atualmente a melhor fase da carreira, Doni vai disputar sua primeira Copa do Mundo da FIFA na África do Sul. O goleiro de 30 anos ganhou a confiança de Dunga já no início de seu trabalho frente à seleção e foi chamado para ser um dos reservas de Júlio César.
Com a camisa da Seleção Brasileira, Doni viveu seu melhor momento em 2007, quando foi convocado para ser o titular da equipe na Copa América disputada na Venezuela. Então em grande fase na Roma, ele levou a melhor na disputa com Helton e foi o titular na competição, participando dos seis jogos e sendo decisivo na campanha do oitavo título do país.
Seu melhor momento aconteceu na semifinal contra o Uruguai, quando brilhou na decisão por pênaltis com duas boas defesas. Embora tenha realizado somente mais um jogo como titular em seguida – na derrota por 2 a 0 para a Venezuela em amistoso –, voltou a ser chamado regularmente até meados de 2009, quando sofreu uma lesão e acabou perdendo espaço para Gomes e, depois, Victor.
Fora da equipe que foi campeã da Copa das Confederações, Doni voltou a ser lembrado para amistosos no final de 2009 e no início deste ano, quando esteve no banco contra a Irlanda.
Em clubes, ganhou projeção em 2001, ao realizar ótimo Campeonato Paulista pelo Botafogo. Em seguida, partiu ao Corinthians, conquistando títulos importantes como o Rio São-Paulo e a Copa do Brasil, em 2002, e o Paulista, em 2003. Após passagens menos marcantes por Santos, Cruzeiro e Juventude, mudou de ares com a transferência para a Roma em 2005, construindo praticamente uma nova carreira no exterior.
Muitas vezes contestado no Brasil, Doni se tornou titular do clube italiano logo na segunda temporada e foi muitas vezes apontado como um dos melhores da posição no país. Na última temporada, porém, perdeu espaço para o também brasileiro Júlio Sérgio e disputou poucos jogos na grande campanha da equipe no Campeonato Italiano.



23 – GRAFITE

Nome completo: Edinaldo Batista Libânio
Data de Nascimento: 2 April 1979
Altura: 189 cm
Número da camisa: 23
Posição: Atacante
Clube atual: Wolfsburg (GER)
Jogos Pela Seleção: 3
Gols Pela Seleção: 1
Primeira Partida Internacional: Brasil - Guatemala (27-04-2005)


História do Clube


Le Mans (FRA): De 2006 a 2007
Goiás (BRA): De 2003 a 2003
Anyang LG Cheetahs (KOR): De 2003 a 2003
Grêmio (BRA): De 2002 a 2002
Santa Cruz (BRA): De 2001 a 2001

Grafite aguardava ansiosamente a convocação para defender a Seleção na África do Sul. E ela não veio. “Estava (esperançoso) até que Dunga anunciou a equipe. Ver que meu nome não estava me deixou triste, porque sabia que poderia estar lá”, afirmou.

Não, o jogador do Wolfsburg não está louco, nem desavisado – ele sabe muito bem que seu está entre os 23 eleitos por Dunga. A declaração acima foi dada em uma entrevista ao FIFA.com em junho de 2009, quando sonhava com uma vaga na Copa das Confederações da FIFA. Na ocasião, Grafite participou só como torcedor. Uma temporada depois, com uma arrancada surpreendente, o atacante não só conseguiu uma chance, como inseriu seu nome na lista final para a competição que todo boleiro quer disputar.
Seu desempenho pelo campeão alemão de 2009 foi notório. Mas o modo como garantiu sua vaga na Seleção talvez seja a grande façanha de sua carreira. “É a maior emoção da minha vida”, disse.
Após um distante amistoso contra Guatemala em 2005, Grafite foi chamado de última hora para duelo com a Irlanda, em março deste ano, substituindo o lesionado Luís Fabiano. Começou o jogo na reserva de Adriano e foi a campo aos 63 minutos. Resultado? Deu passe para um belo gol de Robinhoe, em apenas 27 minutos, mudou sua história.
A soma de talento, personalidade, timing e sorte impressionou Dunga. “Era a última chance de um jogador, (então) imagine como se sentiria. E aí ele entra e joga como se estivesse na Seleção sempre”, afirmou Dunga. “Outros tiveram e não aproveitaram a oportunidade. Não foi o caso. Falei para ele jogar com confiança, como faz no time dele, para aproveitar e ser feliz.”
Isto é certo: seria difícil de apontar, de junho de 2009 para 2010, um jogador que tenha mais motivos para comemorar como Grafite.

7 comentários:

  1. está no carro; rrsrsr
    zueira

    ResponderExcluir
  2. esta no carro rsrsrssr,zueira

    ResponderExcluir
  3. esta no carro,rrsrs
    zueira

    ResponderExcluir
  4. luis fabiano e o melhor do mundo

    ResponderExcluir
  5. nossa que nomes em......

    ResponderExcluir
  6. nayla kelly pereira silva htinha......18 de junho de 2010 11:36

    kade o neimar???
    kkkk....

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...